Cadê tempo?

Hoje resolvi escrever por que ando incomodada com a minha falta de tempo. Quem vê de fora pensa que sou negligente, que não me dedico, que não me esforço o suficiente, mas para informar aos demais e para meu desespero, tudo não passa de falta de tempo. E as coisas já andam assim já faz algum tempo.

Sei que não sou a unica a reclamar disso, mas é que de uns tempos pra cá as horas parecem tão curtas que precisava desabafar. É um pouco difícil de explicar essa sensação de se sentir atrasada sem nem saber pra onde estou indo e nem saber quanto tempo vou demorar pra chegar, mas sempre penso “to atrasada, preciso me adiantar”.

Os dias parecem sempre exprimidos, Acordar, banho, aula, almoço, redes sociais, estágio, tcc, pesquisa, namorado, Garimpo, leitura, tcc, família, cozinhar, jantar, fazer as unhas, ligar, mandar emails, organizar, anotar, limpar, banho, duolingo, redes sociais, dormir…Essa lista poderia ser bem maior, depende do dia e de quanto a minha mente pode aguentar a mais, uns dias parecem menores que outros, mas todos me parecem bem menores do que eu podia me lembrar.

Eu bem que me esforço pra fazer tudo da melhor forma possível, e sempre queria ter feito mais, mas como eu disse, falta tempo. Falta o tempo pra desenhar, falta o tempo para o inglês, falta o tempo da costura, falta o tempo da aquarela, falta o tempo pra fotografar, falta tempo pra fazer um curso, falta tempo pra religião, falta tempo pra viajar, falta tempo pros amigos, falta tempo pra relaxar, falta tempo até pra respirar. Coisas do tipo tomar uma cervejinha e jogar conversa fora, vez ou outra eu faço caber no tempo, mas ai falta o dinheiro. Ô vida de falta, quem foi que inventou esse tal de tempo e distribuiu esse tal de dinheiro!?

Mas, apesar do tempo não ser muito meu amigo, queria deixar registrado que eu não desisto. Todos os dias eu agarro o tempo e faço caber nele tudo que dá, e vou dizendo “um dia você ainda vai sobrar, mas por agora essas 24h por dia tem que dar”. To na luta contra o tempo e já vou avisando que to disposta a ganhar.

PS: Sei que é tosco rimar, mas minha cabeça ta funcionando assim, não consigo evitar. rs

Anúncios

Ser rico deve ser triste!

As vezes, depois de olhar as peças fashion da ultima coleção desejo nas revistas, depois de assistir snaps das top blogueiras no NYFW, ou depois de ver mais uma noticia sobre as kardashians gritando na minha cara, fico imaginando o quanto deve ser difícil ser rico. Imagina só todo dia você acordar e saber que tem uma conta bancária recheada de grana e que você pode gastar ela como bem quiser!? Ou então saber que pra ir dar uma voltinha na Europa é coisa simples, basta ir e comprar a passagem e pronto! Fácil e simples assim, já pensou que terrível!?

Pior ainda, ter um cartão de crédito sem limites e poder comprar e usar o que quiser na hora que quiser, sem esforço, sem precisar economizar, sem se endividar e sem precisar dar satisfações a ninguém, não é cruel!? Poder comer nos melhores restaurantes do mundo, as iguarias mais exóticas sem se preocupar com o peso, ou se preocupando, tanto faz, afinal não falta grana pra fazer aquela dieta da moda, nem pra pagar aquele personal requisitado  ou até pra fazer uma cirurgia plástica. Put’z! não consigo nem descrever como tudo isso deve ser difícil, cansativo, estressante, triste e desestimulante.

Bom  mesmo é ser pobre! É contar moedinha pra pegar o busão por que não tem carro, e saber que mesmo se tivesse grana pra comprar o carro não teria a grana da gasolina, isso sim é vida! Felicidade é abrir a geladeira e constatar que as únicas opções do cardápio são Ovo com Ovo, ou salada de chuchu com salsicha, eita maravilha!

E vamos combinar!? Não há nesse mundo nada mais agradável e gratificante que trabalhar o mês todo feito burro de carga e ver que a grana só deu pra pagar as dividas e não sobrou NADA pra você se divertir, vida social!? pra quê!!!! E o nome no SPC? E a tal da inadimplência? tem coisa que deixa o dia mais bonito e colorido do que lembrar que seu nome ta nessa lista negra de devedores?!?? E pra vida ficar melhor ainda, basta saber que vão cortar sua luz, vai faltar grana pra pagar a internet, e a cada dia que passa as suas chances de ter a casa própria e constituir uma família vão ficando cada vez mais só nos sonhos.

Posso confessar!?

Adoro as ironias dessa vida.

A maternidade alheia me assusta

Antes que você pense algo de errado, não, eu NÃO estou grávida. A imagem é só pra ilustrar o que vou falar/escrever aqui, que tem a ver com gravidez, mas não a minha gravidez, ok!?

A gravidez a qual me refiro é a de outras mulheres, amigas, conhecidas, colegas e o quanto descobrir que alguma delas esta grávida me assusta. Não sei ao certo o que me causa esse sentimento de espanto/terror, talvez seja a lavagem cerebral que minha mãe fez em mim a vida toda, mandando eu estudar e não engravidar antes de ser independente ou se é só a minha total falta de preparo para lidar com a maternidade que faz com que eu ache muito estranho quando alguém próximo de mim engravida.

Minha vida toda pensei em ter filhos, e sempre tive bem definido um casal em minha mente, com meu namorado já escolhemos nomes, já descrevemos como serão nossos filhos, como vai ser a personalidade de cada e o quanto a menina vai ser apegada a ele e o menino vai ser o meu grude. Mas quando vejo uma amiga grávida, e penso que isso tudo é real, e que cresce um ser dentro dela, aquela menina toda insegura e mimada agora vai ser mãe isso me assusta demais. Claro que a maternidade transforma uma mulher, todas dizem isso, mas não consigo evitar esse sentimento. É como se eu fosse muito jovem ainda para engravidar e todos os amigos também, é como se eu ainda tivesse 15 anos ouvindo o sermão da minha mãe sobre gravidez quando já tenho quase 30!

De fato acho que ainda tenho muito a realizar e construir antes de ter filhos. Sim, quero que seja programado, na hora certa, quando eu for aquela mulher bem sucedida que minha mãe mandou eu ser e quando eu tiver meu lar doce lar pra criar minhas crias do meu jeito. Acho que as vezes é um pouco difícil para mim compreender que estou envelhecendo, normal, e que os planos mudam, a vida muda, os objetivos mudam, e uma hora ou outra os filhos chegam.

Mas olha, vou te contar, pensar em ser mãe me da um frio na barriga que nenhuma outra montanha russa poderia dar. Ando tomando coragem aos poucos pra embarcar nessa um dia, ver as amigas fazendo isso antes de mim é até um incentivo, pra ver o quanto isso é natural, faz parte da vida. Ser neta, ser filha e ser mãe.

eu não tenho cor

Todos os dias leio muitas coisas nesse mundão de informações que é a internet. A ultima que li me deixou meio bolada. Um pessoa resolve fazer um blog/texto para negros. OK, cada um faz o que quer, mas por que essa divisão!? continuando, no seu texto em seu blog sinto sempre a tentativa de exaltar a cultura negra, mas como se ela fosse algo exclusivo para negros, ou como se só os negros de cor pudessem compreender o que ela escreve. Oi!? Bem, eu que não sou negra em cor me sinto um pouco excluída/rechaçada desse blog. Me sinto sendo discriminada, coisa com a qual os negros lutam a décadas. Olha, eu sou branca de cor mas pelo simples fator genético, pois tenho avô negro.

Vovô se interessou por vovó, uma loira atraente, tiveram eles filhos, minha mãe nasceu branca mas com tantos cachinhos na cabeça quanto qualquer mulher negra por aí. Mamãe  conheceu meu pai, filho de italiano, branco de cabelos lisos, e daí nasci! Nasci branca, de cabelos lisos, corpulenta, com uma boca nada característica da raça caucasiana, ai te pergunto, sou preta ou sou branca!? Pra mim, eu sou os dois! E acredito que no Brasil, toda a população tenha uma mistura muita doida de genes, culturas e cores, então quando vejo textos para negros, eu realmente não entendo.

Toda as pessoas negras no mundo lutam por igualdade, aí vem um ser humano, que diga se de passagem é da minha cor, e resolve que os brancos não deveriam usar turbantes, por que isso é coisa de negro, e que seu texto é só para negros, por que brancos não entendem, e que reclamar de discriminação só é possível se você é negro. Por que se você é pobre, índio, ou albino você não pode reclamar de nada, afinal seus antepassados não foram escravizados né!?

Mas pera lá, quem disse que pelo fato de eu ser branca isso é algo que diz que acho OK a escravidão? Onde ta escrito que ser branco hoje, em pleno 2015 me torna uma preconceituosa só por que não acho legal essa divisão de raças pra todo mundo ver!? Não sou negra de cor então não posso ressaltar essa cultura e me inserir nela, sou branca de cor mas também não posso exaltar minha cor, pois isso seria uma afronte a todos os negros do mundo.

Não entendo, por que se for pro negro exaltar sua cor e sua raça é bonito, mas se o branco faz isso é feio e discriminatório. Dois pesos e uma medida? Só queria dizer que, não me encaixo mas me sinto bem com isso! Pois sou múltipla e isso é o que prefiro exaltar em minha vida. Sou negra no sangue, no gingado, e nas minhas ancas largas, a religião que escolhi pra mim também me faz um pouco mais negra, a Umbanda tem influências diretas das matrizes africanas. O meu namorado que é negro me faz ainda um pouco mais negra, pois os filhos que pretendo ter com ele podem ser negros ou brancos e serão amados de qualquer forma, simplesmente por que a cor não importa, NÃO IMPORTA!

Sou branca de cabelos lisos, os genes dominantes do meu pai decidiram isso por mim e não aceitarei rótulos, nem para mim e nem para qualquer negro nesse mundo, sejam eles  rótulos positivos ou negativos. Tirem os rótulos, amem as pessoas, ouçam as pessoas, e escrevam para pessoas e não para sua cor.

#sóumdesabafomesmo